« Voltar ao Índice do Glossário

A versão do Corte Certo é sempre apresentada ao lado esquerdo da barra de título da tela principal do programa, como mostra a imagem abaixo.

versao1

Quando mais alto o número de cada conjunto separado por pontos, mais avançada deve ser aquela versão em relação à original 01.00.00, a versão beta.

Uma versão, no contexto da informática, é uma variante de uma versão anterior, mas sempre com a intenção de ser uma evolução   em relação a ela. De ser, de algum modo, melhor que a anterior.

O que pode confundir é que o Corte Certo é apresentado nas opções (vamos chamar assim, por enquanto) Mini, Standard e Plus, que muitas vezes são chamadas também de “versões”.

De acordo com a definição de versão, até não seria totalmente errado chamá-las assim. Afinal, existe uma versão original, que foi a primeira a ser lançada, a Standard.
A partir dela foram desenvolvidos o Corte Certo Plus, que oferece várias ferramentas a mais; e o Mini, apenas com funções básicas.

Também é até possível dizer que uma é melhor que a outra, no sentido em que uma é mais completa que outra. Mas isso depende do ponto de vista: o usuário da Mini que só necessite daquelas funções básicas pode achar que as outras opções, com seus múltiplos botões e janelas, são muito complexas. Então, na sua visão, a Mini seria melhor que as outras.

Por isso é que preferimos dar a essas opções o nome de edições ou séries. Como regra geral o desenvolvimento do Corte Certo ocorre sempre na edição mais completa, a Plus, e as melhorias são, a critério da empresa, incorporadas ou não à Standard e à Mini.

Cada edição tem sua própria versão e, embora a Plus seja a que mais traga novidades (ou seja, é onde numeração se altera com maior frequência) de tempos em tempos todas as numerações são igualadas, para facilitar a administração dessas edições.

Ao longo do ano são produzidas, literalmente, centenas de versões do Corte Certo, em especial para o da edição Plus. Por razões de confidencialidade, não são divulgados os códigos que estão por trás dos três conjuntos de números, mas basta saber que há uma hierarquia entre eles: o primeiro conjunto é o que menos muda, em média a cada ano e meio; enquanto o último pode ter até duas ou três mudanças no mesmo dia.

Embora por definição uma versão mais recente deva indicar uma evolução em relação à anterior, isso nem sempre ocorre. A intenção é sempre essa, mas, muitas vezes, a melhoria que ela traz não passa nos testes, impedindo que ela possa apresentar o avanço.

Não é raro até que traga uma involução. Isso ocorre quando a pseudomelhoria está substituindo uma ferramenta que, bem ou mal, funcionava. Situações até mais graves podem ocorrer, mesmo quando a melhoria passa pelos testes: é que, dentro da trama de algoritmos, a alteração pode vir a afetar uma outra funcionalidade qualquer do software, causando bugs.

Quando detectados os problemas essas versões são retiradas do estoque ativo, para evitar que venham a ser distribuídas. Se o bug foi detectado já no cliente e corrigido, ele receberá uma versão com número de identificação mais alto, significando que é uma versão diferente da que tinha.

Como regra geral, todo o desenvolvimento é realizado sempre nas últimas versões do programa, pois produzir evoluções independentes em versões intermediárias tornaria impraticável a administração dos produtos. Se um cliente tem uma versão antiga, digamos, de dois anos atrás, e detecta algum problema importante que tenha permanecido até as novas versões sem ter sido percebido, por mais importante que seja, esse ajuste não será realizado na versão do cliente. O ajuste será realizado na última versão à qual o cliente só terá direito se adquirir a atualização.

Não há outra forma de agir, porque, de outra forma, o suposto cliente receberia, além do ajuste, uma série de outras melhorias já incorporadas ao programa ao longo desses dois anos sem nenhuma compensação por elas. O Corte Certo, assim como outros softwares, é comercializado dentro do conceito “as it is” (como está), com todas as qualidades e eventuais problemas da versão adquirida.

Para evitar situações como essa, a Dimensions Software oferece um Plano de Manutenção, que garante ao cliente o contínuo recebimento de novas versões lançadas (as atualizações) além do direito ao suporte técnico remoto.

Diferentemente de outros softwares cujas versões só são lançadas entre grandes períodos, depois de reunir um conjunto de novidades, os releases de novas versões do Corte Certo acontecem sempre que uma melhoria é aprovada. O raciocínio parte do princípio de que, num mundo em que a tecnologia evolui tão rápido, não é possível esperar por um ano, um ano e meio ou até mais para oferecer aos clientes acesso a algo já desenvolvido.

Veja também: Versão beta, Edições ou séries, Bugs e Plano de Manutenção.

« Voltar ao Índice do Glossário