« Voltar ao Índice do Glossário

Quando menos é mais.

De alguma forma, o movimento low-tech (ou baixa tecnologia, em contraposição a high-tech) se desenvolve como um paradoxo, num mundo que pede sempre mais da tecnologia. Mais velocidade, mais pixels, mais memória, mais funcionalidades.

Low-tech não significa tecnologia obsoleta ou mal desenvolvida. Pelo contrário. Low-tech é o pensamento que redefine a qualidade da tecnologia para favorecer a acessibilidade às suas funcionalidades.

Ela tem em vista usuários da tecnologia que buscam por menos na simplicidade e na objetividade. Menos botões, menos aprendizado, menos trabalho, menos complexidade. É um público que pensa no pleno uso da tecnologia que adquire, distante daqueles usuários de smartphones que esperam por algum milagre para aprender a fazer algo mais que uma simples ligação telefônica.

A edição Mini do Corte Certo se enquadra com perfeição dentro desse cenário low-tech, na medida em que oferece o básico do programa, dentro da mesma tecnologia apresentada pelas versões mais completas, com a mesma interface (só que com muito menos botões e janelas de configuração). Veja também Usabilidade.

« Voltar ao Índice do Glossário