« Voltar ao Índice do Glossário

Usuários do Corte Certo costumam dizer que esse programa é intuitivo. Como assim, intuitivo? Que é um programa de fácil aprendizado? É um pouco mais que isso. Idealmente seria um software capaz de proporcionar conhecimento direto para o seu uso, sem necessidade de manuais e explicações. É como se o usuário naturalmente já soubesse o que fazer para obter o que quer, mesmo sem ter usado o programa.

O maior desafio para alcançar essa meta ambiciosa com o usuário não está apenas na capacidade dos programadores e desenvolvedores de interfaces, ou mesmo no comprometimento que eles tenham com esse objetivo. Acontece que as pessoas são diferentes. Para um marceneiro ou um arquiteto, as imagens podem ser mais compreensíveis, enquanto um operador de máquina poderá estar mais à vontade com planilhas e o vendedor com as palavras. Também conta a diferença entre os níveis de familiarização dos usuários com outros softwares.

Aliás, este é o primeiro passo para tornar o software intuitivo, para horror dos profissionais de desenvolvimento mais criativos: manter soluções informáticas já plenamente aceitas e conhecidas pelo grande público. O que quer dizer: soluções existentes nos softwares de uso massivo. Clicar com o botão direito para buscar opções ou tentar arrastar uma imagem são apenas dois dos caminhos naturais que o usuário tem e, a menos que se tenha uma proposta infinitamente melhor, é mais sensato não substituí-los.

Felizmente para os nossos desenvolvedores criativos, o trabalho que realizam leva muitas vezes a soluções de vanguarda. Muito do que é desenvolvido, ou existia de forma primitiva ou simplesmente não havia sido pensado antes. E, se não existe, como tornar intuitivo o seu uso?

Mais uma vez, buscando conformar-se ao conhecimento prévio do usuário, trabalhando com suas tendências naturais. Pensando no modo com que trabalha o cérebro humano, a associação de ideias, os padrões que funcionam melhor, o raciocínio lógico – e aí mora o perigo! É que, como o passado nos mostra, os desenvolvedores podem ficar demasiadamente confortáveis no ambiente das rígidas restrições de design, dos prazos apertados e das estruturas lógicas do pensamento, a ponto de se expressarem quase que com exclusividade para esse mesmo grupo fechado de profissionais, através de interfacesde telas entediantes e até enigmáticas para o usuário comum.

Por isso, mais que nunca, nossos profissionais são estimulados a sair da toca para sentar-se ao lado do usuário. Nossos vendedores opinam, todos os leigos em programação são ouvidos atentamente.

Os resultados para o cliente, mais que recompensam. O tempo de aprendizado fica mais curto, assim como as despesas com treinamento, o usuário se sente mais confiante, daí que mais feliz, e o trabalho será mais eficiente.

Alcançar a plena intuitividade é uma meta por demais pretenciosa, mas é um esforço que se compõe ao empenho maior de melhorar sempre a usabilidade do Corte Certo. Veja também: Usabilidade e Interface.

« Voltar ao Índice do Glossário