Na esteira da reportagem da Móbile Fornecedores, em que diretor da Corte Certo é entrevistado, acrescentamos nossa própria entrevista com o pirata.

pirataria

Revista Móbile Fornecedores abre frente contra a pirataria

 

Dizem que a mãe da pirataria no Brasil, tal como a conhecemos no ramo da tecnologia, foi a lei da reserva de informática, instaurada em 1984 e que perdurou até 1992. Trabalhando com tecnologia obsoleta e mais cara num mundo onde explodiam as inacessíveis maravilhas da IBM e Apple, passou a ser natural ao brasileiro aceitar a quebra de patentes estrangeiras e até o plágio descarado do sistema DOS para venda legalizada.

Da pirataria de hardware e software para a de músicas, games, filmes, etc., claro, foi um passo simples. O resultado é que hoje o Brasil é o campeão mundial da chamada “demanda não-monetizada” – o que as empresas deixam de faturar em razão dessa pirataria – com um total de 99,6 bilhões de dólares. Os dados são da TruOptik e se referem ao ano de 2014. Quase 100 bilhões de dólares não arrecadados quando, só como referência mínima, todo o nosso mercado de softwares e de serviços mal chegou a ¼ desse valor no mesmo período! Não à toa que 93% das nossas empresas de software permanecem classificadas como mini ou pequenas, numa indiscutível comprovação da dificuldade que encontram esses empreendedores para o crescimento. Os dois dados estão no relatório da ABES – Associação Brasileira de Empresas de Software.

Então é mais que bem vinda a reportagem “Diga não à pirataria”, da última edição (nº 272) da revista Móbile Fornecedores, dirigida à indústria moveleira, onde o diretor da Corte Certo, Joerly Santos, desabafa: “estamos concorrendo com o nosso próprio produto”.

A matéria representa mais uma frente a favor da conscientização dos empresários brasileiros, até porque, como ela bem lembra, além de emperrar o desenvolvimento das empresas de software no Brasil, a pirataria ainda leva à sonegação de impostos e gera concorrência desleal. Em última análise, impacta no crescimento do próprio mercado, como um todo, com o consequente impedimento à geração de novos postos de trabalho.

Talvez ainda mais importante que tudo isso é conscientizar os leitores que pirataria é crime e que o pratica tanto quem vende como quem compra. Aquela pessoa que vende software pirata, que chama todos de “amigo” e que, por telefone, até tem jeito de “boa gente” é um fora-da-lei e pode ser preso.

É uma pessoa sem escrúpulos que promete até o que o software não faz e que, em muitos casos, insere spyware nesses programas piratas, para copiar senhas e outras informações importantes dos seus clientes. Por isso mesmo, ele não terá também escrúpulos na hora de revelar quem são seus receptadores.

Na entrevista abaixo, não há um pirata único, nem apenas um entrevistador. Os entrevistadores são reais interessados no Corte Certo, em diversos sites. Em cinco perguntinhas já dá para perceber o caráter desse tipo de vendedor (eventuais erros de português foram mantidos):

 

  1. Pergunta:

   Esse é original vem com caixa e cd de instalação?

  piratinha Ola amigo e original sim , maia envio o programa para seu email aguardo sua compra

  Observação: Se o preço está baixo demais, alguma coisa tem. Nossos preços estão em nosso site e NÃO enviamos mais caixa e CD.

 

       2. Pergunta:

     Posso usar o corte certo para cortar roupas?

    piratinha Perfeitamente amigo e ele ainda serve para cortar metal mármore e mais o que você quiser.

   Observação: Não. O Corte Certo, no momento, só corta retângulos ou materiais lineares. Ou seja, não é adequado para o recorte de roupas.

 

3. Pergunta:

     Se eu tiver dúvida na hora que usar o programa como é que eu faço?

     piratinha Você pode ligar direto para a Corte Certo, o telefone está no site.

    Observação: O nosso serviço de suporte remoto é oferecido apenas a clientes devidamente registrados por nós, ou seja, que têm cópias originais do Corte Certo. Mesmo esses clientes pagam uma taxa de manutenção para garantir esse serviço e também as atualizações.

 

4. Pergunta:

    Essa é a versão atual?

    piratinha Versão atual aguardo sua compra

   Observação: Seguramente não é a versão atual. Infelizmente os piratas roubam até imagens e textos do nosso site para dar uma aparência de atualidade.

 

5. Pergunta:

     Boa noite. Queria pagar no banco. Vc pode passar uma conta de banco?

     piratinha Boa noite amigo. Não, só no mercado pago.

    Observação: O pirata não quer deixar traços que o identifiquem, como o número de uma conta bancária, CPF. O Mercado Pago é uma forma de esconder a identidade do cliente. Outra é usar o subterfúgio de colocar à frente da venda inocentes úteis.

 

NÃO SE DEIXE ENGANAR: PIRATA É BANDIDO, MESMO QUE TENHA COLOCADO À FRENTE UM INOCENTE ÚTIL, COMO UM ADOLESCENTE, UM IDOSO OU UM DEFICIENTE FÍSICO, PARA COMOVER!